País quer reduzir custos do biocombustível até 2015

SÃO PAULO, 27 de março de 2008 - O Japão aumentará seus esforços para produzir biocombustíveis mais baratos até 2015, visando garantir a segurança energética em meio ao atual cenário global, com a alta constante dos preços do petróleo.

O Ministério das Indústrias do Japão observou que o país será capaz de produzir entre 100 mil quilolitros e 200 mil quilolitros de biocombustível anualmente, a partir da adoção de tecnologias inovadoras. O custo por litro será de 40 ienes.

Para cumprir essa meta até 2015, o Japão tem de assegurar 670 mil toneladas de capim seco anualmente, a partir de um terreno com uma área total de 13.270 hectares. O país, que importa a maior parte do petróleo consumido, quer idealizar o projeto de biocombustíveis, seja em seu território ou em qualquer outro local da Ásia.

Simultaneamente ao projeto, o Ministério da Economia, Comércio e Indústria do Japão apresentou um programa para que o país faça uma melhor utilização das fontes de energia de biomassa, que atualmente não são exploradas, incluindo os resíduos da derrubada de árvores e a palha do arroz.

Denominado de Biomass Nippon Case, o programa prevê que o Japão produzirá anualmente 15 mil quilolitros de biocombustíveis a partir de recursos já disponíveis, com um custo de 100 ienes por litro. A expectativa é que o Japão tenha, pelo menos, 500 mil quilolitros de biocombustíveis em uso até 2010.

(Redação - InvestNews)