Braskem investe R$ 334 milhões na Planta 1 da Copesul

JB Online

TRIUNFO - A Copesul, empresa da Braskem que opera a unidade de insumos básicos do Pólo Petroquímico do Sul, inicia na próxima segunda-feira (dia 31) a parada geral das operações de sua Planta 1, para manutenção dos equipamentos e implantação de melhorias e inovações tecnológicas, investindo um total de R$ 334 milhões. No período previsto de um mês, cerca de 4 mil pessoas estarão envolvidas na realização de 30 mil tarefas, totalizando mais de 1 milhão de horas/homem de trabalho, em dois turnos se revezando nas 24 horas do dia, seis dias por semana. Durante a parada, a Planta 2 da empresa continuará operando normalmente.

O acidente zero é a meta da Copesul também nesta parada. A empresa empregou dois anos no planejamento detalhado de cada tarefa a ser executada e cercou todos os procedimentos das mais rigorosas medidas de proteção à saúde e ao meio ambiente. - Nossa determinação é realizar um evento com qualidade, sem acidentes nem ocorrências de impacto à natureza e às pessoas, dentro do prazo planejado e dos custos orçados -resume o diretor industrial da Copesul, Henrique Leopoldo Schulz.

A Planta 1, inaugurada em 1982 e responsável por 60% do eteno produzido na Copesul, realiza sua sétima parada geral de manutenção em atendimento à NR-13 (norma regulamentadora do Ministério do Trabalho e Emprego), visando adequar a unidade a um novo período de pelo menos seis anos de produção ininterrupta. Esta adequação refere-se ao esforço de manutenção propriamente dito, como limpeza, inspeções e substituição de peças e equipamentos, no qual estão sendo aplicados recursos de R$ 93 milhões.

Adicionalmente, a empresa vai implementar projetos de atualização tecnológica de sistemas operacionais, de controle da produção e de proteção ambiental, em um investimento de R$ 241,1 milhões. As inovações contemplam o novo sistema de controle operacional e de segurança da Planta 1, que sozinho representa um investimento de R$ 43 milhões; a substituição dos sistemas de vedação e controle de compressores e turbinas; uma segunda torre de resfriamento de água de processo, que garante maior flexibilidade operacional; e o novo tip (queimador) da tocha, que proporcionará maior capacidade de queima de gases sem geração de fumaça, reduzindo a emissão de hidrocarbonetos para a atmosfera.

Após a parada, a Planta 1 voltará a operar com sua capacidade ampliada em 28 mil toneladas/ano de eteno, o principal produto da Copesul, e em 16,6 mil toneladas/ano de propeno. A capacidade total de produção de eteno da Copesul passará de 1.222.000 mil toneladas/ano para 1.250.000 mil toneladas/ano. As novas tecnologias de controle implantadas durante a parada permitirão à Planta 1 retornar à operação em condições de confiabilidade superiores, o que significa produzir mais tempo na máxima capacidade, com menores perdas.