WTI fecha com alta de 4,6% após divulgação de dados de reservas

Agência EFE

NOVA YORK - O preço do Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) subiu nesta quarta-feira 4,6%, até US$ 105,9 por barril, impulsionado pela surpresa que causou entre os investidores o fato de as reservas americanas da commodity terem se mantido estáveis na semana passada.

O Departamento de Energia americano informou hoje que as reservas de petróleo permaneceram em 311,8 milhões de barris (159 litros), algo que, apesar de estar de acordo com a média nesta época do ano, decepcionou os acionistas, que esperavam um aumento.

Esse dado, aliado à desvalorização do dólar frente a outras divisas, influenciou na demanda de contratos de futuros do petróleo de referência nos Estados Unidos, o que fez com que, minutos depois do anúncio, seu preço registrasse uma considerável alta.

A desvalorização da moeda americana tende a estimular as compras de petróleo e de outras matérias-primas que, como no caso do ouro, são negociadas em dólar.

No final do pregão, os contratos de futuros para entrega em maio tinham subido US$ 4,7, a maior valorização desde 5 de março, e fecharam a US$ 105,9 por barril, frente aos US$ 101,2 da jornada anterior.

No que diz respeito aos estoques de gasolina, os dados do Governo americano refletem que as reservas diminuíram em 3,3 milhões de barris (1,4%), até 229,2 milhões.

Isso ajudou o preço da gasolina a subir na bolsa e os contratos de futuros para entrega em abril a terminarem a US$ 2,74 por galão, frente aos US$ 2,68 do dia anterior.

As reservas de combustível para calefação também desceram em 2,2 milhões de barris, 1,9%, até 111,3 milhões de barris, o que motivou que seus contratos de futuros avançassem até fechar a US$ 3,04 por galão, frente aos US$ 2,92 da véspera.

Os dados excluem a Reserva Estratégica de Petróleo do Governo dos Estados Unidos, que conta com 699,5 milhões de barris, o mesmo volume da semana anterior.

O total de reservas de petróleo e produtos refinados nos Estados Unidos, incluindo a Reserva Estratégica, caiu na semana passada até 1,672,8 bilhão de barris, frente aos 1,679,3 bilhão da semana anterior.

Quanto ao gás natural, seus contratos de futuros com vencimento em abril subiram hoje na Bolsa Mercantil de Nova York até US$ 9,57 por mil metros cúbicos, frente aos US$ 9,41 do fechamento anterior.