IPCA-15 desacelera para 0,23% em março

SÃO PAULO, 26 de março de 2008 - O Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15), que representa uma prévia da inflação oficial brasileira, uma vez que apura a variação dos preços na primeira quinzena do mês, registrou alta de 0,23% em março. A taxa é 0,41 ponto percentual inferior a fevereiro (0,64%), o que significa queda 74%, informou nesta manhã o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). O IPCA-15 verificado em março também ficou um pouco abaixo da expectativa do mercado, que projetava alta entre 0,28% e 0,30%.

De acordo com o IBGE, a forte desaceleração foi puxada pelos grupos educação (de 3,61% para 0,16%) e alimentação e bebidas (de 1,13% para 0,40%), que aumentaram menos na passagem de fevereiro para março. "Em fevereiro, refletindo a típica aplicação dos reajustes de início do ano letivo, a alta da educação havia atingido o maior patamar para o mês. No caso dos alimentos, os feijões, que vinham contribuindo para a alta do grupo, apresentaram queda de 1,31% em março, ao passo que em fevereiro haviam aumentado 10,46%", destaca nota do Instituto.

O quilo do feijão carioca chegou a ficar 4,57% mais barato em março, enquanto seus preços haviam subido 8,22% em fevereiro. As carnes caíram mais ainda de um mês para o outro: de -0,99% em fevereiro, passaram para -1,08% em março. O mesmo ocorreu com o frango (de -0,42% para -1,34%). Em termos de queda, o principal destaque ficou com a batata-inglesa , cujos preços ficaram 12,50% mais baratos.

A categoria de produtos não-alimentícios avançou de 0,18% em março, também abaixo da taxa de fevereiro (0,5%), em razão do menor resultado do grupo educação.

Dentre os índices regionais, o maior foi registrado na capital paraense Belém (0,50%), devido principalmente ao grupo alimentação e bebidas, que subiu 1,21%. Goiânia (GO) chegou a apresentar deflação de 0,23%, influenciada pela queda de 1,18% nos produtos alimentícios.

Assim, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo Especial (IPCA-E), que acumula o resultado do IPCA-15 a cada três meses, elevou-se 1,58% no primeiro trimestre deste ano.

(Vanessa Stecanella - InvestNews)