Bovespa Holding e BM&F anunciam fusão

SÃO PAULO, 26 de março de 2008 - A Bovespa Holding anunciou hoje a fusão com a Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), que resultará na formação de uma entidade provisoriamente denominada de Nova Bolsa. A companhia será uma empresa aberta, registrada na Comissão de Valores Mobiliários, e cujas ações serão negociadas no Novo Mercado.

Serão procedidas operações de reorganização societária que resultarão na emissão de ações ordinárias da Nova Bolsa para os acionistas da BM&F e da Bovespa Holding, na proporção de 50% para cada companhia. Adicionalmente, os acionistas da Bovespa Holding receberão pagamento de R$ 1,24 bilhão.

A Nova Bolsa terá um conselho de administração composto por representantes indicados pela BM&F e pela Bovespa Holding, com maioria de membros independentes. Os conselhos de administração decidiram também formar um Comitê de Transição, do qual farão parte os respectivos presidentes e diretores gerais das companhias, e que funcionará até 31 de dezembro de 2008.

Caberá ao Comitê de Transição, no prazo de até 60 dias contados da data de aprovação da transação pelas assembléias gerais da BM&F e da Bovespa Holding, a indicação do novo presidente do conselho de administração e do novo diretor geral para eleição pelo conselho de administração da Nova Bolsa.

Até que ocorra essa indicação, a presidência do conselho de administração será ocupada pelos atuais presidentes de cada companhia. Estima-se que esta reorganização societária poderá atingir um potencial de economia de até 25% das despesas operacionais anuais da organização combinada até 2010, em função das sinergias existentes.

Os conselhos de administração das duas companhias autorizaram as respectivas administrações a concluírem a due diligence recíproca e a prosseguirem com os atos preparatórios necessários para a submissão da proposta aos acionistas das duas sociedades, devendo a transação ser submetida à apreciação dos órgãos reguladores, como a CVM e o Banco Central do Brasil (BC), além do Conselho Administrativo de Defesa Econômica.

Após a aprovação pelos respectivos conselhos de administração das estruturas definitivas das operações de reorganização societária retro referidas, será feita divulgação de novo fato relevante em cumprimento ao disposto na Instrução CVM 319/99, com a realização de novas reuniões dos conselhos de administração e das competentes assembléias gerais extraordinárias.

(Redação - InvestNews)