Ação pode se ajustar com cancelamento de leilão

SÃO PAULO, 25 de março de 2008 - Após os interessados em participar do leilão da Companhia Energética de São Paulo (CESP) não terem depositado as garantias financeiras necessárias e o leilão ser cancelado, as ações da companhia recuam mais de 20% nesta tarde.

Porém, de acordo com Ricardo Tadeu Martins, gerente de pesquisa da Planner Corretora, o preço atingido com o recuo desta tarde - próximo a R$ 30 - está no mesmo patamar de antes do início das conversas sobre privatização. 'O preço está convidativo. Pode ser que por conta da forte queda registrada hoje, os papéis apresentem uma correção técnica nos próximos dias'.

De acordo com o executivo, após especulações sobre a privatização - e depois da confirmação do interesse por parte do governo de São Paulo -, as ações passaram de R$ 35, para R$ 40 em dois pregões. 'Conforme as notícias iam sendo divulgadas, os papéis iam ganhando força até chegarem aos R$ 49', conta o gerente de pesquisa da Planner Corretora.

Quanto ao cancelamento do leilão, Martins afirma que a ação não era esperada. 'Se por um lado o preço mínimo colocado pela Cesp fosse caro se analisado seu conjunto - endividamento e tempo restante de concessões -, o valor poderia ser atrativo caso as concessões, que vencem em 2015, fossem renovadas'.

(Vanessa Correia - InvestNews)