BID quer que Argentina chegue a acordo com Clube de Paris

JB Online

BUENOS AIRES - O presidente do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), Luis Alberto Moreno, disse ser importante para o investimento estrangeiro que a Argentina quite sua dívida com o Clube de Paris, uma instituição informal composta por 19 países desenvolvidos.

- É um tema importante em vários aspectos. Primeiro: o que existe no Clube? Fundamentalmente, as agências de exportação dos Governos. Também é importante para o investimento estrangeiro - disse Moreno, em entrevista publicada hoje pelo jornal argentino 'La Nación'.

A Argentina deve ao Clube de Paris cerca US$ 6,3 bilhões em moratória desde 2001.

- Disse ao Governo argentino que estamos dispostos a apoiar esse processo (de negociação da dívida) da maneira que desejarem. Essa dívida para a Argentina, em quantidade, não é muito grande frente ao endividamento geral - disse o presidente do BID.

Neste sentido, Moreno assegurou que tem a 'impressão' de que o Governo argentino e o ministro da Economia do país, Martín Lousteau, "estão tentando buscar meios para conseguir a negociação da dívida'.

- Se precisam que o BID apóie isso, de qualquer maneira, estamos aí - afirmou.

O ministro Martín Lousteau insistiu que confia que seu Governo chegará a um acordo com o Clube de Paris, embora tenha esclarecido que o Executivo não aceita auditorias do Fundo Monetário Internacional (FMI) como condição prévia para renegociar a dívida.

O FMI disse, em fevereiro passado, estar disposto a ajudar na renegociação da dívida da Argentina com os países que integram o Clube de Paris, caso seja desejo de ambas as partes.