Brasil gasta mais água do que o necessário

SÃO PAULO, 20 de março de 2008 - O dia 22 de março foi escolhido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como o Dia Internacional da Água e 2008 como o Ano Internacional do Saneamento. Porém, o Brasil ainda sofre com a falta de informação para comemorar essas datas.

Uma pesquisa recente da H2C Consultoria e Planejamento de Uso Racional da Água revelou que o brasileiro gasta, em média, cinco vezes mais água do que o volume indicado como suficiente pela Organização Mundial da Saúde (OMS). A organização recomenda o consumo diário de 40 litros diários por pessoa, enquanto no Brasil são consumidos 200 litros dia/pessoa, em média.

De acordo com a consultoria, faltam políticas globais de incentivo ao uso racional da água e as iniciativas existentes estão sempre voltadas para o aumento da produção de água, e não para a diminuição do consumo. 'Até quando vamos deixar as campanhas de uso racional da água nas mãos das concessionárias?', indaga o consultor e especialista em projetos de uso racional da água, Paulo Costa. Segundo ele, é contraditório, pois o negócio das concessionárias é vender água, assim, quanto maior o consumo mais as concessionárias lucram.

O especialista explica que há alternativas que permitiriam reduzir o consumo de água imediatamente, sem necessidade de novos investimentos. 'Programas racionalizadores do uso da água foram empregados com sucesso por cidades como Nova York e Austin, nos Estados Unidos, e Cidade do México.'

Segundo o consultor, Nova York implementou um programa de incentivo à substituição de equipamentos gastadores de água, como bacias sanitárias, por outros, racionalizadores. O programa foi implementado, entre 1994 e 1996, com investimento de US$ 240 milhões no incentivo à troca de bacias e válvulas sanitária, permitindo a economia de 288 milhões de litros por dia. Os consumidores passaram a economizar até 35% na sua conta de água mensal.

Além disso, os técnicos da prefeitura nova-iorquina constataram também que conservar 100 milhões de litros de água equivale até um quarto do custo exigido para captar, tratar e distribuir igual volume

(Sérgio Toledo - InvestNews)