Índice recua 1,61% com Vale e Petrobras

SÃO PAULO, 19 de março de 2008 - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registrou forte volatilidade na primeira etapa dos negócios, seguindo a tendência apresentada pelas principais praças acionárias de Wall Street. Há pouco, a bolsa paulista registrava desvalorização de 1,61%, aos 60.938 pontos. As blue chips Petrobras e Vale puxam o índice para baixo. Instantes atrás, ambas as ações recuavam mais de 3%. O giro financeiro somava R$ 2,58 bilhões.

Sem indicadores relevantes programados para esta quarta-feira, o mercado seguiu o noticiário corporativo. Depois dos resultados de Goldman Sachs e Lehman Brothers, o Morgan Stanley anunciou seu balanço financeiro, referente ao primeiro trimestre fiscal de 2008. A instituição reportou lucro líquido de US$ 1,55 bilhão no período, enquanto que em 2007, o resultado havia sido de US$ 2,67 bilhões. Os números vieram acima do esperado pelo mercado.

Também mexeu com os mercados nesta manhã, a notícia de que as empresas norte-americanas do refinanciamento hipotecário, Freddie Mac e Fannie Mae, obtiveram uma flexibilização de suas regras de funcionamento.

Já no front doméstico, as ações da Tecnisa vão na contra-mão do mercado, ao registrarem, instantes atrás, valorização de 10%. A incorporadora lucrou R$ 32,5 milhões em 2007, o que representa uma queda de 9,1% em relação ao ano anterior. Porém, no ano passado, a Tecnisa lançou 22 novos empreendimentos que totalizaram valor geral de vendas (VGV) da ordem de R$ 1 bilhão, aumento de 255% em relação ao montante apurado em 2006 e em linha com guidance previsto.

Dentre os destaques positivos do Ibovespa estão Eletrobrás ON, que subia 1,89%, a R$ 27,95; Eletrobrás PNB, que avançava 1,86%, a R$ 27,86; e Telemar Norte Leste PNA registrava alta de 1,63%, aos R$ 93,50. No sentido oposto, Cesp PNB caía 6,66%, a R$ 42,00; Vale ON recuava 3,83%, a R$ 54,89; e Gafisa ON desvalorizava 3,79%, a R$ 30,40.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o Ibovespa com vencimento em abril registrava queda de 1,6%, a 61.400 pontos.

(Vanessa Correia - InvestNews)