Direkt estuda consumo de notebook para HP

SÃO PAULO, 19 de março de 2008 - Pesquisa divulgada pela HP Brasil sobre consumo de notebooks e desktops realizada, no último semestre do ano passado, pela Direk, mostra que, no quesito sócio-econômico, o notebook tem uma predominância de usuários de classe A, enquanto desktop é a opção das classes B e C. Outro fator relevante para a aquisição do PC é o custo benefício.

Essa mesma pesquisa realizada, com foco apenas em desktops, em 2006, mostrou que cada vez mais, pessoas com grau de instrução menor estão adquirindo PCs. Isso demosntra o quanto a tecnologia tem se tornado acessível. 'Incentivos do governo, queda do dólar e facilidades de pagamento têm tornado o computador um produto cada vez mais democrático', afirmou Valéria Molina, diretora do Grupo de Sistemas Pessoais para Consumo da HP Brasil, em comunicado.

Em geral, os compradores de PCs têm 30 anos e são os decisores da aquisição. O principal uso do produto, de acordo com a pesquisa, é: trabalho (para notebook) e acesso à internet (para desktops). O notebook é destacadamente um produto pessoal, enquanto o desktop tem uso mais familiar o que deixa claro que, ao optar por um notebook, o usuário quer um computador que não seja acessado por mais ninguém, pois quer ter independência de uso.

As mulheres foram destacadas como as maiores compradoras de computadores HP, com destaque para os desktops (cerca de 54,8%). Isso ocorre porque a mulher acaba preocupando-se em equipar sua casa para oferecer facilidades de estudo para os filhos.

Para a compra de desktops, os consumidores buscaram informações com amigos, lojas e sites. A maior parte adquiriu seu equipamento em grandes redes de varejo. Outro aspecto curioso é que alguns consumidores, no momento da compra, levam em consideração a marca do processador. Para outra parte dos entrevistados, a confiança está na marca do computador, pois segundo eles, a fabricante não usaria um processador cuja tecnologia vá tornar-se obsoleta em pouco tempo.

(Redação - InvestNews)