Consumo intermediário cresce em todos os segmentos

SÃO PAULO, 19 de março de 2008 - A diversidade de segmentos, que formam as atividades de turismo, também pode ser observada na relação consumo intermediário com valor da produção (CI/VP). O consumo intermediário é o valor dos bens e serviços consumidos como insumos num processo de produção. O setor com a maior relação CI/VP foi o transporte aéreo (0,72), seguido dos transportes ferroviário e metroviário (0,60) e aquaviário (0,60). Segundo relatório divulgado hoje (dia 19) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), mereceram destaque também os serviços de alimentação, com relação CI/VP (0,59) superior à média das ACT (0,51). Isso porque, apesar de possuírem uma estrutura menos complexa do que os outros segmentos, precisam de um grande número de bens e serviços em seu processo de produção.

De forma intermediária, as ACT consumiram, em conjunto, R$ 134,9 bilhões de bens e serviços na economia brasileira. A indústria respondeu pela maior parte desse consumo (69,43% ou R$ 93,6 bilhões), seguida dos setores de serviços (29,36% ou R$ 39,5 bilhões) e agropecuário (1,22% ou R$ 1,6 bilhões).

A participação dos setores industrial e de serviços na estrutura de consumo intermediário do transporte aéreo foi de, respectivamente, 64,90% (R$ 8,9 bilhões) e 35,10% (R$ 4, 8 bilhões). As atividades que se destacaram foram: o refino de petróleo, com R$ 6, 9 bilhões no setor industrial e os serviços auxiliares dos transportes, com R$ 1,9 bilhões no setor de serviços. Este respondeu por mais da metade (69,22%) do consumo intermediário observado na atividade de transporte aquaviário, com R$ 3,9 bilhões. Em segundo lugar neste segmento ficou a indústria, que respondeu por 30,78% ou R$ 1,7 bilhões. O setor industrial também representou 56,04% do consumo intermediário registrado no setor de transporte ferroviário e metroviário, com um total de R$ 2,4 bilhões. Em seguida vieram os serviços, com 43,96% ou R$ 1,8 bilhões.

(Redação - InvestNews)