Piora externa faz Bovespa cair quase 3%

REUTERS

SÃO PAULO - Medidas emergenciais do Federal Reserve para impedir que outros dos Estados Unidos repitam a crise de insolvência do Bear Stearns criaram mais pessimismo hoje nos mercados internacionais, o que contaminou os negócios da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa).

Às 11h24, o Ibovespa assinalava desvalorização de 2,85%, aos 60.226 pontos, depois de ter chegado a ceder mais de 4% no início do pregão. O giro de negócios era de R$ 1,554 bilhão.

O Fed anunciou no domingo medidas extraordinárias para garantir o acesso de instituições financeiras a fundos líquidos enquanto a crise de crédito atormentar os mercados.

As medidas vieram quase simultaneamente ao anúncio da compra do Bear Stearns, seriamente atingido por uma crise de liquidez na semana passada, pelo JP Morgan.

- O Fed tentou instilar confiança no mercado, mas acabou criando ainda mais incerteza de curto prazo - disse Kelly Trentin, analista da SLW corretora.

- A interpretação por enquanto é de que o Fed pode ter identificado alguma coisa que mercado ainda não conhece - adicionou.

A intensificação da turbulência acontece justamente no dia do vencimento do prazo para o exercício dos contratos de opções na Bovespa.

- Tem muito contrato de opção virando pó - afirmou Trentin.

As ações mais disputadas nesse segmento exibiam fortes perdas. As referenciais da Vale caíam 3,25%, enquanto as preferenciais da Petrobras recuavam 3,25%.