Paulson defende intervenção do Fed no Bear Stearns

SÃO PAULO, 17 de março de 2008 - O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Henry Paulson, defendeu a decisão do Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) de fornecer financiamento ao Bear Stearns, quinto maior banco de investimentos dos EUA, durante entrevista ao programa dominical "This Week", da rede ABC.

O Bear Stearns reconheceu na última sexta-feira que sua liquidez se deteriorou de forma significativa, o que provocou uma turbulência em Wall Street e propiciou a intervenção do banco JP Morgan Chase e da regional do Fed de Nova York.

A autoridade monetária dos EUA fornecerá financiamento ao Bear Stearns "por um período inicial de até 28 dias, "para impedir que a crise no banco arraste outras instituições financeiras", disse Paulson.

"Quando se passar por um período como este (de turbulências no mercado), os responsáveis por elaborar as políticas têm que calcular várias conseqüências", acrescentou o secretário do Tesouro dos EUA durante a entrevista.

"Temos que responder às circunstâncias que enfrentamos agora, e meu interesse é minimizar o impacto (das turbulências) sobre a economia à medida que passamos por esta fase, e velar pela estabilidade de nossa situação financeira", assinalou Paulson.

Quando perguntado se outras instituições financeiras poderiam estar em uma situação similar à da Bear Stearns, Paulson respondeu que as entidades "são muito fortes" e que sairão fortalecidas desta situação".

No entanto, o secretário do Tesouro dos EUA reconheceu que o sistema financeiro norte-americano é, neste momento, "mais frágil" do que o desejado, segundo declarou em outra entrevista às cadeias FOX e CNN. "Ninguém duvida de que a economia se desacelerou", acrescentou Paulson.

(Redação com agências internacionais - InvestNews)