JPMorgan adquire o Bear Stearns por US$ 236 milhões

SÃO PAULO, 17 de março de 2008 - O JPMorgan Chase anunciou a compra do Bear Stearns, quinto maior banco de investimentos dos Estados Unidos, por US$ 236 milhões, ou US$ 2 por cada ação. A transação deve ser concluída no fim de 2008 e foi aprovada pelos conselhos de administração das duas instituições financeiras, além do Federal Reserve (Fed, banco central dos EUA).

A aquisição evita a falência do Bear Stearns, fundado há 85 anos. Na última sexta-feira, o banco norte-americano solicitou um pacote de emergência junto ao Fed e JPMorgan Chase, após ter admitido problemas de liquidez.

"Todas as partes visavam completar o acordo antes da abertura dos mercados financeiros na Ásia para a sessão de segunda-feira", informou o Wall Street Journal, citando fontes anônimas ligadas às negociações. Os dois bancos trabalharam contra o relógio para fechar o acordo e evitar que a crise do Bear Stearns prejudicasse outras instituições.

O valor da aquisição do Bear Stearns pelo JPMorgan Chase é baixo em comparação ao informado pela reportagem do periódico norte-americano, que previa uma venda avaliada em US$ 2,2 bilhões, ou menos de US$ 20 por ação. A publicação informou também que, durante a negociação, o JPMorgan buscou garantias que limitarão seus compromissos após a aquisição do Bear Stearns.

Por comunicado, o JPMorgan informou que "garantirá em um primeiro momento as obrigações comerciais do Bear Stearns e de suas filiais" e que "sua direção vai supervisionar as operações". "Os clientes do Bear Stearns podem ficar tranquilos: o JPMorgan garante os riscos de contrapartidas", acrescentou no documento Jamie Dimon, diretor-presidente do JPMorgan.

As ações do quinto maior banco de investimentos dos EUA fecharam na última sexta-feira cotadas a US$ 30,85, registrando queda de 46% em relação à sessão prévia.

(Marcel Salim - InvestNews)