CDHU vai instalar 4,8 mil aquecedores solares

SÃO PAULO, 17 de março de 2008 - A Bandeirante Energia e a Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), da Secretaria da Habitação do Estado de São Paulo, vão instalar aquecedores solares em 4.800 imóveis. A iniciativa visa reduzir o consumo de energia elétrica em conjuntos habitacionais já entregues pela CDHU.

Os equipamentos serão instalados nos municípios atendidos pela Bandeirante.

Para dar início ao projeto, a Bandeirante Energia e o governo paulista assinarão no dia 26 um protocolo de cooperação para a doação de aquecedores solares. Os termos do protocolo estão em conformidade com o Programa de Eficiência Energética (PEE) da Bandeirante e com a regulamentação estabelecida pela Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL). O documento estabelece também a substituição de lâmpadas incandescentes por fluorescentes compactas, de alta eficiência energética. Isso vai gerar maior redução do consumo durante o horário de pico do sistema elétrico.

A Bandeirante vai assumir todos os custos do projeto e serviços de instalação, o que significa que nenhum valor será repassado aos moradores. O prazo para a conclusão dos trabalhos é de quatro anos, ou seja, a cada ano 1.200 unidades por ano.

Segundo o secretário da Habitação, Lair Krähenbühl, também presidente da CDHU, as novas tipologias de construção adotadas recentemente pelo Governo do Estado incluem aquecedores solares, ao lado de outras melhorias como o terceiro dormitório, revestimentos em pisos e azulejos, muro divisório, laje e pé direito ampliado para 2,6 metros.

"Queremos reduzir o consumo de energia, gerar economia para os mutuários e promover empreendimentos residenciais ambientalmente sustentáveis", defende. Para expandir esse sistema de eficiência energética, a CDHU vai adquirir equipamentos por meio de pregão eletrônico para as novas construções.

O sistema de aquecimento solar possui dois componentes básicos: o coletor e o reservatório térmico. O coletor é instalado sobre o telhado e absorve o calor, aquecendo a água que circula em seu interior. A água aquecida é armazenada no reservatório, que varia de tamanho conforme a necessidade de consumo, e então é destinada exclusivamente para o banho. Com esse sistema é possível reduzir significativamente o consumo de energia elétrica.

(Redação - InvestNews)