Softwell planeja expansão ofensiva em 2008

SÃO PAULO, 14 de março de 2008 - Como parte dos planos de crescimento da Softwell Solutions no mercado de software no Brasil, a empresa - que tem sede em Salvador (BA) - acaba de inaugurar, na primeira semana deste mês, um escritório na capital paulista, situado no bairro nobre do Itaim Bibi. Além da filial, a empresa, em parceria com diversos empresários paulistas, está terminando de implementar o Centro de Excelência Maker, também em São Paulo. O Maker é o carro chefe da empresa, é uma ferramenta de produtividade que melhora a elaboração de processos.

Com a abertura da filial São Paulo, a Softwell Solutions pretende aumentar o volume de negócios vendendo um número de cópias suficiente para afirmar o seu posicionamento no mercado brasileiro em 2008. Para se ter uma noção, até agora, cerca de três meses após o seu lançamento nacional, a comunidade de usuários do Maker já ultrapassa a casa dos três mil desenvolvedores com mais de mil cópias vendidas. A meta este ano é de vender cerca de 10 mil cópias do produto, contando com as vendas para o mercado internacional.

´A atuação da filial São Paulo da Softwell terá como foco atender a clientes corporativos e desenvolvedores em relação ao principal produto da empresa que é o Maker - uma ferramenta web inteiramente desenvolvida na Bahia, de características mundialmente inéditas - altíssima velocidade, rendimento 60 vezes maior do que o oferecido por qualquer outra ferramenta existente no mercado - junto aos clientes potenciais´, comenta Wellington Freire, CEO da empresa e pai do Maker.

As duas unidades fazem parte do projeto de expansão que a empresa traçou para este ano. Somadas a elas, a Softwell também fechou parceria com a All Business para a revenda do Maker no Estado. ´Também estamos em negociação para a implementação de outro centro de excelência nosso em Brasília e outro na região Sul, possivelmente, em Florianópolis. Ainda no segundo semestre deste ano, abriremos também uma filial no Rio de Janeiro´, relata o executivo. A meta da empresa para este ano é fechar 2008 com postos de venda e centro de excelência em 12 estados brasileiros e instalar sua primeira unidade no exterior. ´Possivelmente, nos segundo semestre deste ano, abriremos nossa filial nos Estados Unidos´, prevê Freire. Além da Bahia e São Paulo, a Softwell hoje também está presente em Pernambuco, Sergipe e Brasília.

Segundo Freire, o mercado de ferramentas para software no Brasil movimenta cerca de R$ 2 bilhões por ano. Confirmadas as projeções, a perspectiva da empresa é faturar R$ 100 milhões neste ano, com a revenda de cópias do Maker no mercado e a prestação de serviços agregados ao produto como consultoria e treinamento ao cliente.

Ainda focado no projeto de expansão da empresa, a Softwell anunciou no início deste mês a contratação de Dormevilly Nóbrega Tertius, ex-gerente de Novas Tecnologias da empresa americana Borland - uma multinacional especializada no desenvolvimento de produtos, soluções e serviços na área de TI. Tertius assume o cargo de diretor da filial da empresa baiana em São Paulo com o objetivo de reforçar as políticas de comercialização e de crescimento das vendas do Maker no mercado nacional, especialmente nas regiões Sudeste, Sul e Centro-Oeste, com ênfase nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e em Brasilia. ´Nossa estratégia foi de aproveitar a experiência que Tertius adquiriu na Borland, ao longo de 15 anos, para atender com mais força e eficiência aos três mais importantes mercados nacionais consumidores de softwares, através de uma unidade que integre pré e pós-venda, proporcionando um ponto único de contato para o cliente das três regiões em todo o ciclo de vendas do Maker´, finaliza o CEO.

(Angela Ferreira - InvestNews)