Investimentos estrangeiros batem recorde em janeiro

Agência EFE

BRASÍLIA - O Brasil recebeu em janeiro US$ 4,814 bilhões em investimentos estrangeiros diretos, praticamente o dobro que no mesmo mês de 2007 (US$ 2,422 bilhões) e o maior valor para o primeiro mês do ano na história do país, informou nesta segunda-feira o Banco Central.

O investimento estrangeiro em projetos produtivos no país aumentou no início deste ano, apesar dos persistentes temores de que a crise de crédito nos Estados Unidos possa ter efeitos em países emergentes, como o Brasil.

O nível do investimento estrangeiro em janeiro ficou acima das expectativas do próprio Banco Central, de US$ 4,5 bilhões.

O Brasil recebeu em 2007 um recorde de US$ 34,6 bilhões em investimento estrangeiro direto, o maior na história do país. Este valor representou um crescimento de 84,3% em relação a 2006.

Segundo o Banco Central, este saldo subiu a US$ 36,977 bilhões nos doze meses entre fevereiro de 2007 e janeiro de 2008, o que equivale a 2,80% do Produto Interno Bruto (PIB).

O Governo, no entanto, prevê que o investimento estrangeiro este ano será menor e que totalizará US$ 28 bilhões no final do ano, abaixo dos US$ 29 bilhões previstos pelos economistas dos bancos privados.

No relatório das contas externas divulgadas nesta segunda-feira, o Banco Central confirmou que as reservas internacionais do país ficaram em janeiro acima do valor total da dívida externa do país.

De acordo com o organismo, enquanto os ativos acumulados pelo país no exterior em janeiro chegaram a US$ 203,19 bilhões - contra US$ 91,086 bilhões em janeiro de 2007 -, a dívida externa brasileira caiu a US$ 196,2 bilhões.

O saldo positivo de US$ 6,983 bilhões nesse cálculo transformou o Brasil, pela primeira vez em sua história, em um país credor em nível internacional, após ter sido, tradicionalmente, uma nação devedora.

O presidente Luiz Inácio Lula da Silva lembrou dessa condição brasileira e disse que se trata de um grande passo para transformar o país em uma importante economia mundial e para que o Brasil seja mais respeitado.

Apesar dos números positivos, o Banco Central também informou que a balança em transações correntes registrou em janeiro um déficit de US$ 4,232 bilhões, frente ao superávit de US$ 286 milhões no mesmo mês do ano passado.

O saldo negativo foi atribuído ao forte aumento das importações, acima das exportações, assim como ao crescimento das remessas de lucro e dividendos enviadas pelas empresas multinacionais ao exterior.

O déficit em janeiro fez com que o saldo de conta corrente acumulado nos últimos doze meses (de fevereiro 2007 a janeiro 2008) também passasse a ser negativo, com um déficit de US$ 1,169 bilhão.