Goldman Sachs projeta inflação mais alta na China

SÃO PAULO, 25 de fevereiro de 2008 - O Goldman Sachs, banco norte-americano de investimentos, aumentou de 4,5% para 6,8% sua previsão de inflação na China em 2008, devido ao rápido crescimento do capital disponível para investimento no país.

O M2, indicador que mede o fornecimento de capital e a circulação de dinheiro e depósitos, aumentou 18,94% até o final de janeiro, 2,22 pontos percentuais superior em relação ao mês anterior, informou o Banco do Povo da China (PBOC, sigla em inglês).

De acordo com Liang Hong, economista-chefe do PBOC, a pesquisa mostrou que a inflação pode continuar a acelerar a curto prazo e crescer em até dois dígitos nos próximos meses. Liang acrescentou que a alta da inflação poderá pressionar uma rápida apreciação da moeda local, levando o iuane a uma valorização de 12% até 2009.

A apreciação do iuane foi a medida mais prática para controlar a inflação e evitar uma estagnação da economia. A moeda chinesa valorizou 6,9% frente ao dólar em 2007. Apenas no primeiro mês de 2008, o iuane já valorizou 2,2% ante a moeda norte-americana. Os analistas acreditam que o PBOC está permitindo essa rápida valorização para reduzir o crescimento da inflação no gigante asiático.

(Redação - InvestNews)