Tóquio cai por recuo nos pedidos de maquinaria

SÃO PAULO, 8 de fevereiro de 2008 - A Bolsa de Tóquio fechou em baixa nesta sexta-feira, prejudicada pela queda de 3,2% nos pedidos de maquinaria em dezembro no Japão. O recuo foi maior que o projetado pelo mercado, incentivando os investidores nipônicos a venderem ações da Sumitomo Heavy Industries e Fanuc, companhias que lideraram as perdas no pregão.

O índice Nikkei 225 caiu 1,43%, para 13.017,24 pontos, registrando seu menor nível em duas semanas. No acumulado do ano, o Nikkei 225 apresenta recuo de 14,96%. Já o indicador Topix, que reúne todos os valores da primeira sessão, perdeu 1,37%, para 1.287,14 pontos.

Entre os demais mercados da Ásia, as praças acionárias da Austrália encerraram a semana em alta, com o índice S&P/ASX 200 registrando avanço de 1,10%. Já as bolsas da Coréia do Sul, Taiwan, Indonésia, Cingapura, Hong Kong e China permaneceram fechadas por conta do feriado local (Ano Novo Lunar).

O nervosismo tomou conta do pregão nipônico nesta sexta-feira. Os pedidos de maquinaria no Japão caíram 3,2% em dezembro de 2007, em relação ao mês anterior, para 1,016 bilhão de ienes, registrando a maior baixa em cinco anos. Além disso, o recuo foi maior que o projetado pelos economistas, que estimavam por uma queda de 0,8%.

Os investidores japoneses optaram por vender ações de fabricantes de maquinaria, que lideraram as perdas na sessão. Os papéis da Sumitomo Heavy Industries despencaram 11,44%, enquanto os da Fanuc diminuíram 3,98%.

Outro fator que também elevou o nervosismo no pregão japonês foi a interrupção das operações do indicador Topix, devido a uma falha nos sistemas de computadores. As transações pararam às 10h59 (horário de Tóquio). É a primeira vez desde 2005 que o pregão é interrompido por problemas nos sistemas.

"Isso mostra que a Bolsa de Tóquio não fez um bom trabalho ao atualizar seus equipamentos", disse Mitsushige Akino, economista do Ichiyoshi Investment Management, em declaração às agências internacionais.

O cancelamento das operações do Topix poderá prejudicar ainda mais a reputação da Bolsa de Tóquio, já afetada por falhas de computadores. A interrupção também fez aumentar o risco de prejuízo entre os investidores que, por sua vez, não conseguiram abrir posições nem finalizar suas negociações.

(Marcel Salim - InvestNews)