Índice ensaia recuperação, mas fecha em queda de 0,01%

SÃO PAULO, 7 de fevereiro de 2008 - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) encerrou o pregão desta quinta-feira em leve queda de 0,01%, aos 58.965 pontos. Instantes atrás, a bolsa paulista marcava valorização, seguindo as tendências das principais praças acionárias norte-americanas. O giro financeiro foi de R$ 5,65 bilhões.

Os papéis da Petrobras foram o destaque desta sessão. O BG Group, empresa sócia da estatal petrolífera brasileira e da Galp Energia na exploração do campo de Tupi, anunciou hoje uma revisão para cima nas projeções da capacidade do local. Segundo a companhia britânica, o campo poderá ter entre 12 bilhões e 30 bilhões de barris de óleo equivalente. A projeção anterior previa uma capacidade entre 1,7 bilhão e 10 bilhões de barris de óleo equivalente. As ações preferenciais da Petrobras subiram 3,1%, enquanto que as ordinárias avançaram 3,31%.

Já as bolsas norte-americanas registravam alta, até instantes atrás, impulsionadas pela divulgação de dados, acima do esperado, de empresas varejistas. A J. C. Penney projetou um lucro por ação de US$ 1,80 para o quarto trimestre do ano passado, enquanto o mercado aguardava um número próximo a US$ 1,65. Já a Gap anunciou que projeta um lucro por ação de US$ 0,35, enquanto que o mercado previa um montante próximo de US$ 0,29 por ação.

Durante a manhã, a queda das bolsas de valores norte-americanas foi puxada pelo noticiário corporativo. A varejista Wal Mart anunciou aumento de 0,5% em suas vendas referentes ao mês de janeiro, enquanto que o esperado era de 2% para o período. Outra notícia que mexeu com o humor dos investidores foi a projeção de crescimento da Cisco Systems de 10% para o próximo trimestre, enquanto que o esperado era de 15%.

De acordo com Rafael Moyses, gestor de clubes de investimento da Umuarama Corretora, o mercado está a mercê de notícias pontuais, tanto corporativas, quanto relacionadas à economia norte-americana. ´O mercado estará bastante atento a informações relacionadas à produtividade, inflação e dados do mercado de trabalho dos Estados Unidos, em busca de indícios sobre a real situação da economia´, diz.

No front interno, os papéis da Usiminas também foram destaque, ainda refletindo a aquisição de três empresas localizadas no Sudeste do país. Ontem, a companhia informou ao mercado a compra de três mineradoras - Mineração J. Mendes, Somisa Siderúrgica Oeste de Minas e Global Mineração - por US$ 925 milhões. As ações preferenciais série A da companhia subiram 4,38%, a R$ 92,80.

Além dos papéis da Usiminas e Petrobras, dentre os destaques positivos do Ibovespa estão Vivo PN, que subiu 4,27%, a R$ 10,24; e Ambev PN, que avançou 3,12%, a R$ 132,00. No sentido oposto, Cyrela ON caiu 6,11%, a R$ 21,50; Natura ON, que recuou 5,66%, a R$ 16,15; e Gafisa ON apresentou queda de 4,65%, a R$ 26,61.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o Ibovespa com vencimento em fevereiro registrou alta de 0,17%, a 59.000 pontos.

(Vanessa Correia - InvestNews)