Câncer de pulmão terá diagnóstico mais preciso

SÃO PAULO, 6 de fevereiro de 2008 - Pesquisadores da Clínica Mayo de Jacksonville, Flórida, relataram, na edição de 6 de fevereiro do Jornal da Associação Médica Americana (Journal of the American Medical Association), que o uso de dois endoscópios ao mesmo tempo, é mais eficaz no exame para determinar o estágio do câncer de pulmão - estadiamento do câncer, em termos médicos. A nova técnica, em que o médico usa dois pequenos tubos flexíveis -- um é inserido no esôfago do paciente para acessar os gânglios linfáticos por trás dos pulmões, enquanto o outro é colocado na traquéia (ou vias aéreas) para atingir os gânglios pela frente e pelos lados --- foi precisa em 93% das vezes em que os pesquisadores testaram um grupo de 138 pacientes, em busca de gânglios linfáticos malignos. Ela é bem mais precisa do que todos os outros métodos para determinação do estágio do câncer de pulmão que os médicos vêm usando até hoje, afirmam os pesquisadores, que testaram três métodos diferentes de exames para determinar o estágio da doença, de uma forma não invasiva, em seu estudo.

"Realizar os dois procedimentos de uma só vez toma menos tempo, requer apenas um sedativo moderado e os pacientes podem ir para casa no mesmo dia", explica o médico Michael Wallace, que também é professor de medicina da Clínica Mayo de Jacksonville.

A técnica foi desenvolvida pelo gastrenterologista Michael Wallace e pelo co-autor do estudo, o médico brasileiro Jorge Pascual pulmonologista da Clínica Mayo de Jacksonville. Os dois testes passaram a ser usados rotineiramente, para determinar o estágio do câncer de pulmão nos pacientes da Clínica Mayo.

(Redação - InvestNews)