Mercados aguardam decisão do Fed

SÃO PAULO, 30 de janeiro de 2008 - Os principais mercados acionários mundiais aguardam a decisão do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc), dos Estados Unidos, do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano), sobre a taxa básica de juros dos Estados Unidos. Instantes atrás, o Ibovespa com vencimento em fevereiro registrava desvalorização de 0,59%,a os 59.350 pontos, na Bolsa de Mercadorias & Futuro (BM&F).

Ontem, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) seguiu o movimento dos índices norte-americanos, e encerrou o dia em alta. A expectativa de que a entidade monetária norte-americana promoverá novo corte nos juros impulsionou a alta de diversos papéis. No front externo, além da divulgação de alguns indicadores relevantes, a Câmara dos Deputados aprovou o pacote de estímulo à economia do governo Bush, que prevê restituição de impostos. O próximo passo é envia-lo ao Senado.

A entidade monetária norte-americana anunciará no final desta tarde, os próximos passados dos juros da região. A expectativa dos mercados é que a entidade monetária promova um corte de 0,5 ponto percentual (p.p) nos juros norte-americanos. Se confirmada, a taxa irá para 3% ao ano (a.a). Na semana passada, o Fed anunciou um corte extraordinário de 0,75 p.p, a fim de tentar acalmar as principais praças acionárias mundiais, que registraram recorde de perdas no dia anterior à decisão.

Na agenda econômica desta quarta-feira estão previstas as divulgações da pesquisa da consultoria ADP sobre o setor de empregos norte-americano, Produto Interno Bruto (PIB) anualizado e consumo pessoal dos Estados Unidos.

Na Ásia, as praças acionárias da região encerraram a sessão em baixa, com os investidores preocupados com o cenário econômico nos Estados Unidos. Eles estão confiantes de que o Fed reduzirá hoje a taxa básica de juros. Por outro lado, os analistas asiáticos prevêem que esta atuação não será suficiente para evitar uma recessão na maior economia do mundo. Já na Europa, as bolsas de valores também operam em queda nesta manhã.

(Vanessa Correia - InvestNews)