G8 propõe reforma de instituições financeiras

SÃO PAULO, 30 de janeiro de 2008 - Os líderes de Reino Unido, Alemanha, França e Itália, países europeus pertencentes ao G8, propuseram uma reforma nas instituições financeiras globais para enfrentar melhor futuras crises, como a que afeta os mercados atualmente. O encontro entre foi realizado em Londres.

Estavam presentes o presidente da Comissão Européia, José Manuel Durão Barroso; o presidente francês, Nicolas Sarkozy; a chanceler alemã, Angela Merkel; e o ex-primeiro-ministro italiano Romano Prodi, que renunciou recentemente à chefia de Governo.

A reunião foi iniciativa do primeiro-ministro britânico, Gordon Brown. Os governantes reivindicaram a reforma dos órgãos reguladores e supervisores, além de uma maior transparência e colaboração entre os países na prevenção de crises. Desta maneira, as instituições financeiras, como o Fundo Monetário Internacional (FMI), devem implantar um sistema efetivo de alerta.

De acordo com o grupo de líderes, estes órgãos deveriam informar as principais mudanças no setor financeiro para garantir uma maior transparência sobre seus riscos, e como respondem os mercados e os reguladores.

O grupo também assinala que seria preciso revisar o papel do FMI como supervisor da estabilidade financeira global e concordaram que é preciso manter o compromisso com uma economia global aberta, evitando medidas protecionistas.

(Redação com agências internacionais - InvestNews)