Petrolíferas têm 45 dias para negociar com Equador

SÃO PAULO, 28 de janeiro de 2008 - O presidente do Equador, Rafael Correa, afirmou que há um prazo de 45 dias para a conclusão das negociações dos contratos com as empresas petrolíferas estrangeiras que operam no país. O governo equatoriano pretende mudar a modalidade dos contratos de participação por outros de prestação de serviços.

O país intensificou a renegociação de contratos com cinco multinacionais petrolíferas que operam na Amazônia equatoriana. O ministro de Minas e Petróleo, Galo Chiriboga, e os representantes das companhias Petrobras, City Oriente, Perenco, Repsol-YPF e Andes Petroleum formaram mesas de trabalho para discutir a situação das empresas estrangeiras.

A estimativa é de que a negociação termine antes de maio deste ano e que não haja possibilidade de que o Centro Internacional de Regra de Diferenças Relativas a Investimentos (Ciadi), ligado ao Banco Mundial (Bird), intervenha na arbitragem de possíveis disputas.

De acordo com Correa, as petrolíferas internacionais podem aceitar o decreto de 99-1%, mudar o modelo do contrato ou encerrar seus trabalhos e deixar que a empresa estatal Petroecuador passe a explorar os campos.

(Redação com agências internacionais - InvestNews)

Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade.
Ao continuar navegando, você concorda com estas condições.
Saiba mais