Investidor mantém foco na economia norte-americana

SÃO PAULO, 28 de janeiro de 2008 - Os mercados abriram a semana de olho nos indicadores norte-americanos, além da decisão do Federal Reserve (Fed, banco central dos Estados Unidos) sobre os juros. Nesta manhã, a dúvidas quanto aos efetivos impactos de incentivo à economia dos EUA reforça as tensões e o dólar opera em alta de 0,34%, negociado a R$ 1,794.

Na agenda de hoje, estão os dados sobre as venda de imóveis novos nos Estados Unidos, entre outras notícias que mexem com o mercado de câmbio nesta segunda: a avaliação de que a economia norte-americana já pode ter entrado processo recessivo, as fortes perdas registradas nas bolsas asiáticas e européias e os números da balança comercial brasileira, que acumula superávit de US$ 748 milhões em janeiro.

Na semana passada, o Federal Reserve cortou o juro em 0,75 ponto percentual, devido as condições adversas do mercado e os investidores esperam por nova redução de meio ponto nesta quarta-feira. "Caso esta decisão não ocorra, os mercados reagirão de forma bastante negativa", avalia a AGK corretora em relatório.

Nos próximos dias, além da reunião do Fed, há importantes divulgações nos EUA como a primeira prévia do PIB no quarto trimestre, as encomendas por bens duráveis, o índice de confiança do consumidor e o relatório de trabalho.

Para a AKG Corretora, o alto diferencial de juros a favor do Brasil - agora ainda maior depois que o Fed está promovendo cortes mais agressivos por lá e o Copom mantendo a Selic elevada por aqui - continuarão estimulando as operações de arbitragens e neutralizando os possíveis efeitos negativos. Mas no curto prazo, dado a aversão ao risco, a procura por ativos brasileiros deve ser limitado.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)