Para mercado, medidas têm impacto limitado sobre a crise

Portal Terra

SÃO PAULO - O comportamento ainda incerto do mercado financeiro até o fechamento desta última semana mostra bem o impacto limitado de todas as medidas anunciadas para minimizar os efeitos da crise do setor imobiliário nos Estados Unidos. Houve momentos de quase euforia, após os anúncios, mas feita a releitura fica a percepção de que o alcance pode não ser suficiente para livrar a economia norte-americana de um processo recessivo, que já pode ter se instalado.

De qualquer modo, há uma certa expectativa na possibilidade de as medidas, pelo menos, evitarem que a recessão seja mais intensa e prolongada. Até porque novas ações ainda poderão ser tomadas, como cortes adicionais dos juros.

Porém, não dá pra contar com qualquer estabilidade mais prolongada do mercado no curto prazo. O sobe e desce tende a continuar porque será difícil também haver uma definição de cenário tão cedo. Ainda não dá pra ter certeza, sequer, quanto ao tamanho das perdas geradas pelo subprime. Agora é que começam a ficar mais evidentes, por exemplo, o tamanho do rombo gerado no sistema financeiro. Mas até os ajustes, diante de números mais concretos, podem ser demorados, por mais que haja uma forte mobilização nesse sentido.

Por fim, ainda é preciso considerar as reações particulares do mercado que, nem sempre, refletem a real extensão dos problemas. Podem ser motivadas por ondas de aversão ao risco ou mesmo especulação. Em momentos de incertezas, a sensibilidade aumenta e, consequentemente, também a volatilidade.