Negócios seguem parâmetros externo

SÃO PAULO, 9 de janeiro de 2008 - A ausência de indicadores econômicos revelantes no mercado doméstico deixou os pregões brasileiros totalmente à mercê do humor internacional. As preocupações com uma recessão na economia dos Estados Unidos afetava ações de diversos setores, incluindo o financeiro e o de empresas ligadas a consumo.

Diante da continuidade das incertezas sobre a economia dos Estados Unidos, os investidores globais devem continuar cautelosos e atentos aos indicadores econômicos e aos discursos de autoridades dos bancos centrais das principais economias do globo, sobretudo as do Federal Reserve (Fed), em busca de apurar as expectativas e tomar as melhores decisões de negócios para protegerem seus ativos. Os agentes financeiros estão no aguardo do discurso do presidente do Fed, Ben Bernanke, que amanhã falará em Washington sobre perspectivas econômicas e política monetária.

No mercado de câmbio a volatilidade ainda prevalece, a moeda norte-americana registrou mínima de R$ 1,760 e máxima de R$ 1,773 nesta quarta-feira. No final dos negócios, a divisa sinalizava avanço de 0,51%, cotada a R$ 769 na compra e R$ 1,770 na venda. O Banco Central (BC) voltou a comprar dólares no mercado à vista, a uma taxa de corte de R$ 1,7735. A liquidação acontecerá na sexta-feira, dia 11.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews)