Cautela determina negócios na Ásia; Petróleo avança

SÃO PAULO, 8 de janeiro de 2008 - Os mercados acionários da Ásia reverteram os ganhos observados no início dos pregões e encerraram em queda nesta terça-feira, prejudicados pela cautela dos investidores em relação à possibilidade de uma recessão nos Estados Unidos. Destaque para as ações do setor siderúrgico, impulsionadas por um novo recorde na cotação do ouro.

Em Tóquio, o índice Nikkei 225 avançou 0,19%, para 14.528,67 pontos, após atingir durante o pregão seu menor nível em 18 meses. O indicador Kospi de Seul caiu 0,26%, para 1.826,23 pontos, enquanto o índice referencial Hang Seng de Hong Kong perdeu 0,25%, aos 27.112,90 pontos. Já na China, a Bolsa de Xangai fechou com queda de 0,13%, aos 5.386,53 pontos.

O sentimento de cautela determinou hoje os negócios nos pregões asiáticos, com os investidores da região temerosos sobre uma possível recessão nos Estados Unidos. Os analistas acreditam que há 50% de chances da economia dos EUA sofrer uma desaceleração e estão confiantes de que o Federal Reserve (Fed, banco central norte-americano) reduzirá a taxa básica de juros em 0,25 ponto percentual em sua próxima reunião.

O preço do petróleo avançou nas negociações eletrônicas da Ásia após ter caído quase US$ 3 na última sessão. O barril norte-americano encerrou o dia cotado a US$ 95,84, enquanto o barril do tipo Brent avançou para US$ 95,18.

Destaque na Ásia para as ações do setor siderúrgico, impulsionadas por um novo recorde no preço do ouro. O metal finalizou o dia negociado a US$ 872 a onça. Os papéis das siderúrgicas Nippon Light Metal, Sumitomo Metal Industries e Nippon Mining Holdings avançaram 5,97%, 4,66% e 3,91%, respectivamente.

(Marcel Salim - InvestNews)