Bolívia adotará medidas para equilibrar exportação de gás

Agência AFP

LA PAZ - O governo boliviano iniciará nos próximos dias reuniões com Brasil e Argentina para estipular uma forma de distribuição equilibrada da exportação de gás para ambos os países, embora não vá poder cumprir plenamente o fornecimento energético deste ano, informou nesta terça-feira a imprensa local.

O ministro dos Hidrocarbonetos, Carlos Villegas, anunciou que viajará no dia 18 de janeiro para a Argentina para se reunir com o ministro do Planejamento argentino Julio de Vido, com o objetivo de preparar uma reunião trilateral para abordar a questão energética, informa o jornal La Razón.

Posteriormente, Villegas visitará o Brasil com o mesmo propósito.

- Vamos chegar a um entendimento em alguma reunião para que os três presidentes, Luiz Inácio Lula da Silva, Cristina Fernández e Evo Morales, se reúnam e possamos superar as eventualidades que surgirão este ano - disse o ministro.

O governo boliviano anunciou na semana passada um recorde de investimentos petroleiros para 2008, ano em que as 12 companhias multinacionais que operam no país investirão um total de 967 milhões de dólares, embora tenha reconhecido que ainda não poderá atender a todas as necessidades energéticas da Argentina e do estado brasileiro de Mato Grosso.

Villegas disse que a Bolívia continuará produzindo 42 milhões de metros cúbicos diários de gás (MMDC) destinados a satisfazer o mercado de São Paulo (31 MMCD) e o consumo interno (5,5 a 6 MMCD), e "o que sobrar será enviado para a Argentina", cujas necessidades situam-se entre 5,5 MMCD e 7 MMCD.

Villegas antecipou também que para atender a demanda da Argentina trabalharia em uma reunião tripartida (Argentina-Bolívia-Brasil) de autoridades energéticas para que os argentinos não sofram problemas críticos no inverno.