Mantega: Brasil dará até US$ 2 bi ao Banco do Mercosul

Agência AFP

BRASÍLIA - Os sócios majoritários do Banco do Sul - criado por membros do Mercosul e outros países latino-americanos -, Brasil, Argentina e Venezuela, contribuirão com entre US$ 1 bilhão e US$ 2 bilhões cada um para formar o capital inicial da instituição, disse na quinta-feira o ministro brasileiro da Fazenda, Guido Mantega, que está em Buenos Aires.

Segundo Mantega, o capital inicial da nova entidade ficará em torno de US$ 10 bilhões:

- O capital total deverá ser de entre US$ 7 bilhões e US$ 10 bilhões, integralizado em um período a definir entre os sócios maiores e menores.

Mantega fez tais declarações após um almoço com o ministro argentino da Economia, Martín Lousteau, na quinta-feira, no qual conversaram "sobre o estatuto do Banco do Sul para definir suas características principais, a participação de cada país no capital e a formação do conselho diretivo".

- Brasil, Argentina e Venezuela serão os sócios majoritários, que podem pagar mais, e devem contribuir com entre US$ 1 bilhão e US$ 2 bilhões cada um - disse.

Da discussão sobre a formação do capital do novo Banco também participou o vice-ministro das Finanças da Venezuela, Rafael Isea.

Um dos principais pontos da discussão é o valor de cada voto em função do capital entregue para formar a instituição.

O próximo encontro entre os ministros de Brasil, Argentina, Bolívia, Paraguai, Equador, Venezuela e Uruguai ocorrerá em Caracas, na segunda semana de janeiro.