Aposta em derivativos amplia rentabilidade

SÃO PAULO, 28 de dezembro de 2007 - Buscando diversificar suas apostas, os fundos de investimento têm ampliado suas aplicações no mercado de derivativos no Brasil, tanto em contratos futuro de câmbio e juros, como de commodities agrícolas.

O aumento do preço das commodities agrícolas e metálicas tem impulsionado a valorização não só das ações como dos contratos futuros negociados na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), ampliando os ganhos dos fundos posicionados nesse mercado como os fundos Sparta Anticíclico FI Multimercado e o Sparta Cíclico FI Multimercado, ambos da Sparta Asset Management que lideraram a rentabilidade no segmento de fundos multimercados com posição em renda variável e alavancagem neste ano. O primeiro, cuja estratégia não segue a tendência do mercado, apresentou valorização de 171,69% no ano até novembro , segundo ranking divulgado pela Associação Nacional dos Bancos de Investimento (Anbid) e o segundo, que realiza apostas direcionais, alcançou rentabilidade de 247,92% no período.

De acordo com o gestor dos fundos, Victor Nehmi , ambos os fundos apostam no mercado de derivativos futuro, que incluem os contratos financeiros de DI, Ibovespa e dólar e os contratos agrícolas de soja, café e boi gordo.

Nehmi afirma as commodities agrícolas, que representam 50% da carteira, devem manter forte valorização em 2008 com o aumento da demanda no mercado mundial, impulsionando a elevação das proteínas animais.

Segundo projeção do banco de investimento Goldman Sachs a cotação da soja deve liderar a alta das commodities agrícolas em 2008, com a escassez de terras para a ampliação da produção e o aumento da demanda por biocombustíveis em 2008 e 2009. O banco elevou em 61% a projeção de alta para os preços da soja de US$ 9 o bushel para US$ 14,50 o bushel. A cotação do trigo também foi revista de US$ 6 para US$ 7,50 o bushel. Já projeção para o preço do milho subiu 20% de US$ 4,40 para US$ 5,30 o bushel.

Só neste ano, o S&P GSCI Index, que reúne 24 contratos de commodities agrícolas, apresentou um retorno de 27% , maior ganho desde 2002.

Nehmi destaca que os contratos de boi gordo também devem apresentar uma alta maior que a registrada em 2007, com o aumento da demanda no mercado interno e a escassez de animais para abate, depois de dois anos de aumento da oferta.

A cota mínima de aplicação nos fundos é de R$ 5 mil e a taxa de administração é de 4%. O fundo Sparta Cíclico já acumula R$ 14 milhões de patrimônio e o Sparta Cíclico e de R$ 5 milhões .

(Silvia Regina Rosa - InvestNews)