Índice cai 0,80% com clima externo negativo

SÃO PAULO, 27 de dezembro de 2007 - O clima de cautela marcou o penúltimo pregão do ano da Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa), que fechou em queda de 0,80%, aos 63.774 pontos, refletindo a divulgação de indicadores econômicos negativos nos Estados Unidos. O giro financeiro ficou em R$ 3,843 bilhões.

O crescimento abaixo do esperado dos pedidos de bens duráveis, que apresentou expansão de 0,1% em novembro, e o aumento do número de novos pedidos de seguro desemprego nos Estados Unidos, que somaram 349 mil na última semana, acima da expectativa do mercado que projetava recuo para 340 mil, reforçaram as preocupações com o desaquecimento da economia norte-americana e contribuíram para aumentar a volatilidade dos mercados.

Além disso, a perspectiva de perdas no setor financeiro contribuiu para elevar o nervosismo entre os investidores, que segundo analistas, buscaram refúgio em ativos como o ouro e o franco suíço. O risco de mais instabilidade no Oriente Médio deu impulso também ao petróleo, que teve sua alta acentuada pelo declínio dos estoques norte-americanos.

No mercado interno, o Relatório de Inflação divulgado hoje pelo Banco Central foi bem recebido pelo mercado, ao trazer um tom menos preocupado com as pressões inflacionárias.

Entre as maiores altas, destaque para as ações da Lojas Renner ON, que subiram 6,30 % a R$ 36,10, Souza Cruz ON avançou 2,22% a R$ 48,66 e Usiminas PNA fechou com valorização de 2,51% a R$82,73.

Na ponta da venda, os papéis da Tim Part recuaram 3,28% a R$6,17 , Cyrela Realty caiu 3,78% a R$ 24,34 e Net PN declinou 2,57% a R$21,15.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o Ibovespa com vencimento em fevereiro fechou em baixa de 1%, a 64.150 pontos.

(Silvia Regina Rosa - InvestNews)