Relatório de Inflação pauta negócios nesta semana

SÃO PAULO, 26 de dezembro de 2007 - Com o volume de negócios reduzido em razão das festas de final de ano, os investidores agora aguardam o Relatório de Inflação que deve ser divulgado pelo Banco Central (BC) amanhã. Segundo profissionais, é a partir deste documento os analistas terão a exata noção da percepção da autoridade monetária para o desempenho econômico nos próximos meses, especialmente quanto à trajetória de inflação, que norteia os passos do Comitê de Política Monetária (Copom) na condução da política monetária.

As condições econômicas reveladas pelos indicadores divulgados recentemente respaldam a postura conservadora da política monetária. Na semana passada, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) de dezembro não trouxe boas notícias, registrando alta de 0,70% no mês e de 4,4% no acumulado do ano. A ata da última reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) mostrou com muita clareza que aumentou a probabilidade de que a ocorrência de pressões inflacionárias localizadas venha a apresentar riscos para a trajetória da inflação doméstica. Estas incertezas estão crescendo e, com isso, há quem diga que o comitê pode elevar a taxa Selic em junho do ano que vem.

Para profissionais, retomar os cortes da taxa Selic dependerá da evolução dos investimentos, resultando em aumento da capacidade produtiva, tornando mais equilibrada a evolução da oferta e da demanda. Atualmente, a taxa Selic está em 11,25% ao ano.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F) as projeções de juros apontaram avanço na primeira etapa do dia. O contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) de janeiro de 2010 indicava juro anual de 12,76%, ante 12,72% do ajuste anterior.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews)