Indústria automotiva prevê aumento de 8,9% na produção em 2008

Agência Brasil

SÃO PAULO - A Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea) prevê um aumento na produção no ano que vem de 8,9%, o equivalente a 3,240 milhões de unidades, número já próximo da capacidade instalada. É o que aponta um levantamento da associação. A indústria automotiva espera ainda alcançar uma produção anual de 5 milhões de veículos em 2013.

Segundo o presidente da Anfavea, Jackson Schneider, "não há risco de gargalos e o país está preparado para atender a demanda interna". Schneider lembrou que no período de 1995 a 2004 a cadeia automotiva brasileira investiu US$ 35 bilhões, o que permitiu que o país saísse da marca de 2 milhões de unidades para 3,5 milhões.

Com base nos anúncios publicados pelas empresas, a Anfavea estima que serão investidos algo em torno de R$ 10 bilhões nos próximos três anos.

- Acredito que esse valor pode ainda ser multiplicado por um fator robusto - diz o presidente da associação.

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, o setor automotivo é prioridade da segunda fase da polícia industrial que deve ser sancionada, em breve, pelo presidente da República, Luiz Inácio Lula da Silva.

Entre os investimentos anunciados pelas empresas, a General Motors comunicou, em julho último, a aplicação de US$ 500 milhões para o Brasil e a Argentina. Um total de US$ 100 milhões vai para a construção de um novo prédio do centro tecnológico da empresa, em São Caetano do Sul, no ABC paulista. O restante será dividido meio a meio entre as unidades, no Brasil e na Argentina, visando o desenvolvimento de uma nova família de automóveis.

Segundo a assessoria de imprensa da montadora, neste ano de 2007, a GM já registra efeitos dos US$ 240 milhões injetados em sua fábrica de Gravataí, no Rio Grande do Sul, nos últimos dois anos. A média de produção passou de 120 mil unidades para 180 mil, 2007.