Siderúrgicas e petrolíferas lideram perdas na Ásia

SÃO PAULO, 28 de novembro de 2007 - Os mercados acionários da Ásia fecharam em queda nesta quarta-feira, com os investidores da região novamente preocupados com o impacto da crise no mercado de crédito subprime sobre o crescimento global. Destaque para a venda de ações dos setores siderúrgico e petrolífero, que lideraram as perdas nas sessões.

Em dia de forte volatilidade, o índice Nikkei 225 de Tóquio caiu 0,45%, para 15.153,78 pontos, enquanto o indicador Kospi de Seul perdeu 1,34%, para 1.834,69 pontos. Na China, o índice Xangai Composto registrou baixa de 1,19%, para 4.803,39 pontos. Já na contramão, o indicador referencial Hang Seng de Hong Kong aumentou 0,59%, para 27.371,24 pontos.

Os temores sobre uma desaceleração na economia dos Estados Unidos promoveram as quedas nas cotações das commodities, impulsionando os investidores asiáticos a venderem ações dos setores petrolífero e siderúrgico.

O barril de petróleo norte-americano encerrou o dia cotado a US$ 93,72 nas negociações eletrônicas da Ásia. Já o ouro estendeu as perdas observadas nos últimos dias e recuou para US$ 805 a onça.

Entre as petrolíferas, as ações da Inpex Holdings perderam 4,24%, enquanto as da Woodside Petroleum recuaram 1,78%. Já no setor siderúrgico, os papéis da Sumitomo Metal Mining registraram baixa de 2,40% e os da BHP Billiton caíram 1,54%.

Apesar do anúncio de que os Emirados Árabes Unidos injetaram US$ 7,5 bilhões no Citigroup em Tóquio, os títulos do setor financeiro operaram hoje com forte volatilidade. O Wells Fargo, quinto maior banco dos Estados Unidos, anunciou ontem que poderá registrar um prejuízo de aproximadamente US$ 1,4 bilhão devido à crise creditícia.

A notícia afetou as ações da Resona Holdings e as do Mitsubishi UFJ Financial, que encerraram o dia com queda de 3,85% e 1,55%, respectivamente. Já os papéis do japonês Mizuho Financial recuaram 1,76%.

(Marcel Salim - InvestNews)