Índice sobe 0,61% e opera colada a mercado externo

SÃO PAULO, 27 de novembro de 2007 - A Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) voltou a operar colada aos mercados acionários norte-americanos. Estes, por sua vez, foram influenciados por notícias positivas vindas do mercado financeiro. A bolsa paulista encerrou o pregão desta terça-feira em alta de 0,61%, aos 59.432 pontos. O giro financeiro foi de R$ 5,36 bilhões.

"A Bovespa mostrou resistência no começo do mês ao operar descolada dos mercados norte-americanos, muito em função de Vale e Petrobras. Porém, este movimento não está sendo mais visto. Qualquer notícia positiva ou negativa está afetando os mercados acionários no âmbito global", afirma Alexandre Ludolf, economista da Paraty Investimentos.

Durante o dia, os investidores se animaram com a notícia de que a Autoridade de Investimentos de Abu Dhabi (Adia), fundo de investimentos soberano deste Estado membro dos Emirados Árabes Unidos, tem o interesse em adquirir 4,9% de participação do Citigroup, o que significa um investimento de US$ 7,5 bilhões. Com isso, o fundo se tornaria um dos principais acionistas do grupo.

Em contrapartida, o índice que mede a confiança dos consumidores norte-americanos (Consumer Confidence) frustrou analistas ao apresentar retração em acima do esperado em novembro. O indicador, divulgado pelo Conference Board, passou de 95,6 pontos registrados em outubro, para 87,3 pontos em novembro. A maioria dos analistas apostava em uma medição próxima a 91,5 pontos para o período. 'São os 'petrodólares' movimentando mercado financeiro', ressalta Ludolf.

Internamente, o término do período de reserva dos papéis da BM&F foi o destaque do dia. De acordo com analistas, o que surpreendeu foi a quantidade de pessoas físicas interessadas em participar da oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) da instituição, em função da magnitude da valorização da Bovespa Holding.

Dentre as maiores altas registradas pelo Ibovespa estão os papéis da Souza Cruz ON, que avançaram 10,04%, a R$ 46,55; VCP PN, que registraram ganhos de 6,74%, a R$ 57,00; e Banco do Brasil ON, que subiram 5,55%, a R$ 26,81. No sentido oposto, Brasil Telecom PN caiu 2,92%, a R$ 15,29; B2W Varejo ON, com queda de 2,91%, a R$ 73,30; e Bradespar PN, com desvalorização de 2,56%, a R$ 46,28.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o Ibovespa com vencimento em dezembro registrava alta de 0,68%, a 59.500 pontos.

(Vanessa Correia - InvestNews)