Cautela predomina no mercado de renda fixa

SÃO PAULO, 30 de outubro de 2007 - O segmento de renda fixa deve continuar com volume reduzido de negócios e a cautela continua prevalecendo entre os investidores, decorrente da expectativa com a reunião do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc) do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) que define amanhã o rumo da taxa de juro americana. A expectativa dominante diz que o Comitê vai promover mais um corte de pelo menos 0,25 ponto percentual na taxa, atualmente em 4,75% ao ano.

Ainda no campo externo, foi divulgado o resultado do índice que mede a confiança do consumidor norte-americano que caiu de 99,5 pontos em setembro para 95,6 pontos no mesmo período deste mês. O indicador, divulgado pela Conference Board, veio abaixo do esperado por analistas, que apostavam em um índice igual ao obtido no mês passado.

Internamente, o resultado do Índice Geral de Preços - Mercado (IGP-M) acima do esperado pelos analistas de mercado financeiro influenciou no ligeiro avanço das projeções de juros dos contratos de Depósito Interfinanceiro (DI) negociados na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F). Há pouco, o DI de janeiro de 2010 subia de 11,51% para 11,52%, na abertura dos negócios a taxa estava em 11,57% ao ano.

Pela manhã, a Fundação Getúlio Vargas (FGV) informou que o IGP-M registrou em outubro alta de 1,05%. O indicador veio acima das previsões dos analistas do mercado que previam inflação entre 0,76% e 0,97%, com mediana de 0,89%.

(Maria de Lourdes Chagas - InvestNews)