Índice supera os 63 mil pontos pela 1ª vez

SÃO PAULO, 9 de outubro de 2007 - Mais uma vez, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) registrou novo recorde do ano em pontuação ao bater a casa dos 63 mil pontos pela primeira vez na história. O Ibovespa fechou a sessão em alta de 1,42%, aos 63.549 pontos. Foi a segunda quebra de recorde consecutiva e a 39º do ano. O giro financeiro foi de R$ 6,72 bilhões.

Nem mesmo os mais otimistas esperavam que a bolsa paulista chegasse tão rápido aos 63 mil pontos. De acordo com Kelly Trentin, analista de investimentos da corretora SLW, a valorização registrada pela Bovespa tem sido impulsionada pelo cenário macroeconômico. "O risco-país encostou no patamar registrado anteriormente à crise de subprime e fechou a terça-feira aos 158 pontos. Isso aponta uma baixa aversão ao risco".

A expectativa de que a ata do Federal Reserve ((Fed, o banco central norte-americano) pudesse indicar novo corte no juro do país foi frustrada. No entanto, o documento não afasta a possibilidade de novo recuo, caso os novos indicadores sinalizem resultados aquém do esperado.

A autoridade monetária explicou que o corte de 0,5 ponto percentual feito na reunião realizada dia 18 de setembro foi unânime entre os membros do comitê e teve caráter preventivo a uma possível piora nos índices econômicos dos Estados Unidos. Atualmente, a taxa básica está em 4,75% ao ano.

Por aqui, os papéis do setor bancário subiram, impulsionadas pelas informações sobre a aquisição do ABN Amro pelo consórcio formado pelos bancos Royal Bank of Scotland (RBS), Santander e Fortis.

Os destaques opostos foram as ações da CCR Rodovias e OHL, que caíram devido ao resultado do leilão de trechos de rodovias federais promovido pela ANTT (Agência Nacional de Transportes Terrestres).

As maiores altas foram registras pelas ações da Perdigão ON, que subiram 8,02%, a R$ 45,90; Vivo PN, que registraram ganhos de 5,44%, a R$ 9,30; e Copel PNB, com valorização de 5,43%, a R$ 31,40. Já as maiores quedas foram registradas pelas ações da CCR ON, que perderam 7,16%, a R$ 36,01; Duratex PN caíram 4,87%, a R$ 54,99; e Cesp PNB, que perderam 3,37%, a R$ 35,75.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o Ibovespa com vencimento em outubro registrou queda de 0,17%, a 63.470 pontos.

(Vanessa Correia - InvestNews)