Ata do Fed agita praças acionárias pelo mundo

SÃO PAULO, 9 de outubro de 2007 - As principais praças acionárias mundiais aguardam a divulgação da última ata do Federal Reserve (Fed), já que o documento pode revelar sinais de um novo corte na taxa básica de juros norte-americanos. Há instantes, o Ibovespa com vencimento em outubro apresentava valorização de 0,65%, aos 63.160, na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F). É a primeira vez que o Ibovespa rompe o patamar de 63 mil pontos no mercado futuro.

Analistas acreditam que qualquer indicação dada pela autoridade monetária seja ela sobre um possível corte no juro básico dos Estados Unidos ou de manutenção da taxa deve animar os investidores no plano doméstico. Na sessão de ontem, a Bolsa de Valores de São Paulo atingiu o 38º recorde do ano em pontuação, ao bater os 62.661 pontos, com valorização de 0,55%.

O período de divulgação de balanços referentes ao 3º trimestre também está começando. A Aracruz anunciou retração de 6% em seu lucro líquido no período quando comparação com o 3º trimestre do ano passado.

Por aqui, os investidores pessoa física interessados em participar das ofertas de ações do BicBanco e da construtora Tenda tem até hoje para fazer a reserva de ações. O BicBanco é a nona instituição financeira de médio porte a abrir seu capital este ano. Já a Tenda Construtora reforça a lista de empresas do setor de construção civil a ingressarem na bolsa paulista. Ambas as companhias iniciarão as negociações de suas ações na Bovespa na próxima segunda-feira (15).

Além disso, a Agrenco, empresa com atuação na área de agronegócio, anunciou os termos de sua oferta global de ações ordinárias. No Brasil, serão ofertados Brazilian Depositary Receipts (BDRs) e cada papel representará uma ação da companhia.

Na cena externa, a expectativa com relação a ata do Fed agita o mercado europeu que opera em alta. As principais praças acionárias da Ásia também fecharam em alta na sessão desta terça-feira.

(Vanessa Correia - InvestNews)