Paulistano com até 3 mínimos tem mais dívida

SÃO PAULO, 22 de agosto de 2007 - De acordo com pesquisa Endividamento e Inadimplência do Consumidor (PEIC) da Federação do Comércio do Estado de São Paulo (Fecomercio), a situação de endividamento é mais grave entre os consumidores que ganham até 3 salários mínimos.

A expansão de novos empréstimos e concessão de crédito para compra de bens e serviços estão entre os fatores que podem ter contribuído para o aumento do endividamento entre os consumidores com renda de até 3 salários mínimos, que chegou a 70% em agosto, ou seja, alta de 8 pontos percentuais em relação ao mês anterior.

De acordo com comunicado divulgado pela Fecomercio, entre os consumidores com rendimentos de 3 a 10 salários mínimos, 63% possuem alguma dívida, contra 61% em julho. No universo de consumidores com renda superior a este patamar, o percentual de endividados é de 43%, queda de 5 pontos percentuais em relação ao mês anterior.

A inadimplência também afeta diretamente o consumidor com menor poder aquisitivo, pois no grupo de pessoas com renda de até 3 salários mínimos 58% têm dívidas em atraso. Naqueles com rendimentos de 3 a 10 salários mínimos o percentual é de 42% e entre os que possuem renda acima deste patamar o índice é de 28%. A desaceleração do crescimento na renda e as férias escolares, que acabam por aumentar os gastos com viagens, diversão e lazer, estão entre os fatores que contribuíram para essa elevação.

(Redação - InvestNews)