Dólar se ajusta e recua com quadro externo tranqüilo

SÃO PAULO, 22 de agosto de 2007 - O dólar passou por ajustes e voltou a recuar, com os investidores apostando a cada dia que o Federal Reserve poderá cortar os juros para reduzir a turbulência dos mercados. No final do dia, o dólar cedeu 1,13%, a R$ 2,012.

Sexta passada, o BC norte-americano reduziu a taxa de juro no interbancário em um movimento para tentar abrandar a restrição de liquidez. Agora, as especulações giram em torno de um corte na taxa básica de juros, fixada em 5,25% ao ano, antes da reunião oficial do comitê, agendada para 18 de setembro.

Para o diretor executivo da corretora NGO, Sidnei Moura Nehme, "embora esperada para ocorrer no próximo encontro, a decisão de corte não é algo tão certo, visto que precisaria ocorrer efetivo sinal de contaminação da economia real para que o Fed "abrisse mão" do seu rigoroso controle sobre a inflação, que continua sendo a prioridade em relação ao crescimento", diz.

Notícias de fusão e aquisição e a menor saída de investidores estrangeiros da Bovespa, menos instável nos últimos dias, também contribuíram para o otimismo dos negócios. O saldo de investimentos estrangeiros no mercado de ações, que chegou a ficar negativo em mais de R$ 5 bilhões até a semana passada, reduziu o déficit para R$ 4,96 bilhões.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)