Deputados se frustam com depoimento de diretor da Anac

SÃO PAULO, 22 de agosto de 2007 - Depois de quase cinco horas de sessão, deputados que integram a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Apagão Aéreo disseram ter ficado frustrados com o depoimento do diretor de Segurança Operacional, Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), coronel Jorge Luiz Brito Velozo.

Para alguns parlamentares, Velozo hesitou em suas respostas e passou a impressão de estar protegendo os demais diretores, ao afirmar não conhecer o documento (IS-RBHA 121/189) que determinava que, em dias de chuva, os aviões utilizassem a potência máxima dos reversos ao pousar no Aeroporto de Congonhas, na zona Sul de São Paulo.

"Eu não trabalhei na resolução e nem tomei conhecimento de que ela estivesse sendo preparada', disse Velozo, único dentre os cinco dirigentes da Anac com conhecimento técnico sobre aviação.

Ele justificou o desconhecimento de uma norma de segurança ao explicar que os regulamentos são elaborados pelos técnicos de cada uma das superintendências, para só então serem apresentados e votados pelo diretores. Mas evitou responder sobre como o documento chegou ao site da agência e às mãos de uma desembargadora federal.

As informações são da Agência Brasil.

(Redação - InvestNews)