Abravest desaprova aumento de alíquota

SÃO PAULO, 22 de agosto de 2007 - A Associação Brasileira do Vestuário anunciou nesta quarta-feira que o setor de vestuário repudia 'a forma ineditamente autoritária com que o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio' decidiu que o Brasil poderá aumentar a alíquota do imposto de importação para todos os produtos da tecelagem, provenientes de qualquer país, de 18% para 26%, um aumento de 45%.

'Ao invés de ouvir o setor socialmente e economicamente relevante da cadeia, o ministério optou por "terceirizar" esta questão para os beneficiários diretos desta medida, ou seja, as conhecidas associações empresariais de classe que defendem os interesses da tecelagem no Brasil e na Argentina', afirma um comunicado da entidade.

'Se por um lado alguns poucos empresários da tecelagem brasileira aplaudem esta medida, infelizmente o mesmo não poderá ser dito dos consumidores e do cidadão. Certamente, o setor de vestuário vai ser obrigado a repassar para o produto final o encarecimento dos insumos da tecelagem. O próprio Ministério da Fazenda já reconheceu este problema. No final, os consumidores pagarão a maior parte do custo da taxação de insumos têxteis', completa.

(Redação - InvestNews)