Petrobras manterá apenas investimentos 'necessários' na Bolívia

REUTERS

RIO - O diretor Financeiro da Petrobras, Almir Barbassa, e o diretor de Abastecimento, Paulo Roberto Costa, afirmaram nesta terça-feira que a empresa vai manter apenas os investimentos mínimos necessários para garantir a importação de 30 milhões de metros cúbicos de gás da Bolívia.

- Vamos fazer o necessário. Não sei se será o mínimo - disse Barbassa.

O diretor de Abastecimento, Paulo Roberto Costa, confirmou que não estão previstos investimentos adicionais na Bolívia após a mudança na legislação do país vizinho, que implicou na venda de duas refinarias da estatal.

- Nós temos campos de gás na Bolívia, e vamos fazer o investimento mínimo para garantir a importação dos 30 milhões de metros cúbicos - afirmou Costa à Reuters.

O Brasil tem um contrato com a Bolívia de importação de 30 milhões de metros cúbicos de gás ao dia até 2019, e o Brasil estaria utilizando apenas 27 milhões.

- Antes da mudança na lei tínhamos planos até para duplicar o gasoduto, mas da maneira que está é inviável - completou Costa.

Barbassa sinalizou que, apesar de o contrato com a Bolívia ser muito longo, a Petrobras manterá o acordo.

- É o que nós temos, e vamos cumprir.