Fala de senador norte-americano acalma mercados

SÃO PAULO, 21 de agosto de 2007 - Comentários de autoridade norte-americanas ajudaram a esfriar o desânimo dos investidores. O dólar chegou a subir 0,84% na máxima do dia, mas fechou a sessão vendido a R$ 2,035, com valorização de 0,30%.

Nesta terça, a leve apreciação do dólar acompanhou o clima mais calmo em Wall Street. Por lá, os índices acionários passaram a operar no azul, beneficiados pela declaração do presidente do comitê bancário do Senado dos EUA, Christopher Dodd, de que Ben Bernanke, chairman do Federal Reserve, disse estar preparado para usar todas as ferramentas possíveis, se necessário, para conter a turbulência dos mercados financeiros.

Mirian Tavares, diretora de câmbio da corretora AGK avalia que "a cautela permanece latente, o que impede, por enquanto, movimentos mais acentuados em direção aos ativos de maior risco".

Mas as incertezas com as condições da liquidez mundial, em conseqüência da crise no crédito norte-americano, continua, o que mantém os ativos voláteis. E o setor segue dando sinais de escassez, fazendo com que os maiores bancos centrais do mundo voltassem a abastecer o sistema bancário.

No câmbio, antes de atingir a máxima de R$ 2,046, o dólar chegou a sair na mínima de R$ 2,021, seguindo a instabilidade das ações.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)