Volatilidade continua marcando os negócios

SÃO PAULO, 20 de agosto de 2007 - A aposta de que o corte na taxa de desconto, promovido pelo Federal Reserve (Fed, banco central americano) na última sexta-feira, terá efeito benéfico nas condições de liquidez do sistema cedeu espaço às preocupações com o mercado de crédito. O dólar, que chegou a cair 1% nas primeiras ofertas do dia, inverteu rumo e no final da manhã subia 0,54%, vendido a R$ 2,036.

A volatilidade continua e em Wall Street os ativos operam sem tendência. "Podemos ter alguns dias de calmaria, mas a aversão ao risco ainda não acabou", comentou um profissional, ressaltando que o problema de liquidez não foi resolvido e que os bancos centrais devem continuar injetando dinheiro nos mercados. Nesta manhã, os BCs do Japão e Austrália injetaram recursos no sistema bancário. O Fed colocou mais US$ 3,5 bilhões no mercado.

A turbulência dos últimos dias, disparada pela apreensão com os prejuízos relacionados ao setor de crédito de alto risco dos EUA, elevou as projeções para o câmbio no final deste ano. Segundo pesquisa do Banco Central, as previsões para o dólar passou de R$ 1,85 para R$ 1,90. Entre outras notícias, o Ministério do Desenvolvimento informou que a balança comercial está superavitária em US$ 25,648 bilhões.

(Simone e Silva Bernardino - InvestNews)