Nicarágua embarga tanques da Esso

SÃO PAULO, 20 de agosto de 2007 - A justiça da Nicarágua embargou, em caráter preventivo, os tanques de armazenamento e escritórios da Esso Standard Oil, de capital americano, no porto de Corinto, no litoral Pacífico do país. O gerente de Assuntos Públicos da Esso em Manágua, Alfredo Fernández, disse que a empresa está investigando as razões do embargo que foi feito na sexta-feira passada.

"Desconhecemos totalmente quais foram os motivos do embargo, porque as pessoas responsáveis não deixaram nenhum comprovante", disse Fernández. Segundo um jornal local, a tomada foi feita com amparo de uma sentença judicial, emitida dias atrás contra a multinacional, por suposto contrabando de combustível.

A denúncia foi feita supostamente pela Direção Geral de Serviços Aduaneiros, por contrabando de combustível no total de 44 milhões de córdobas (cerca de R$ 4,5 milhões). A embaixada americana em Manágua afirmou, em nota, que a decisão tem "o potencial de prejudicar seriamente as relações econômicas entre os países". A embaixada segue advertindo sobre as conseqüências potenciais dos investimentos estrangeiros na Nicarágua.

As informações são dos jornais La Prensa e Trinchera de la Noticia.

(Redação com agências internacionais - InvestNews)