Mercado vê dólar mais alto no ano mas mantém projeção de Selic

REUTERS

SÃO PAULO - O mercado elevou levemente as previsões para a inflação e o dólar neste ano, após as turbulências globais provocadas pela crise no setor imobiliário dos Estados Unidos, mas a projeção para a Selic continua sendo de corte de 0,25 ponto na próxima reunião.

As avaliações constam de relatório do Banco Central divulgado nesta segunda-feira, com base em cerca de 100 instituições financeiras.

O prognóstico para o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) em 2007 passou de 3,75 por cento para 3,77 por cento. Para 2008, a estimativa manteve-se em 4 por cento.

A previsão para o dólar no final deste ano subiu de 1,85 real para 1,90 real. Para o fim de 2008, permaneceu em 1,95 real.

Na semana passada, a moeda norte-americana chegou ao maior nível desde março, acima de 2,1 reais.

A estimativa para a próxima decisão do Comitê de Política Monetária (Copom), agendada para o início de setembro, é de corte da Selic em 0,25 ponto percentual, para 11,25 por cento ao ano.

A previsão confirma a visão de que o BC irá desacelerar o ritmo da flexibilização em meio a um repique da inflação corrente --decorrente da alta dos alimentos-- e ao aquecimento da atividade.

As projeções para a Selic no fim de 2007 e 2008 ficaram estáveis em, respectivamente, 10,75 por cento e 9,75 por cento.

A projeção de crescimento da economia brasileira este ano passou de 4,60 por cento para 4,62 por cento. Para 2008, foi revista de 4,30 para 4,35 por cento.