Senador dos EUA cobra exame das agências de rating

REUTERS

WASHINGTON - O presidente do Comitê Bancário do Senado, o democrata Christopher Dodd, defendeu na sexta-feira um exame do papel das agências de rating ao avaliar o mercado de crédito imobiliários.

Dodd, pré-candidato à Presidência dos EUA, também pediu que os organismos reguladores federais elevem em 5 por cento o limite da carteira de investimentos das firmas de crédito imobiliário Fannie Mae e Freddie Mac.

Falando a jornalistas, Dodd manifestou "grande preocupação" com a forma como as agências de rating (avaliação de crédito) analisaram e deram notas a pacotes de produtos relativos a hipotecas.

- Precisamos fazer um profundo exame disso - disse.

Seus comentários a jornalistas ocorrem um dia depois de um funcionário da Comissão Européia anunciar uma revisão do código usado pelas agências, numa investigação que pode ser crítica para o setor.

Charlie McCreevy, comissário europeu do Mercado Interno, disse que a atual crise do mercado de crédito imobiliário de alto risco, que contaminou mercados financeiros do mundo todo, mostra as aparentes falhas no código voluntário atualmente usado.

As três maiores agências de rating são a Moody''s, a Standard & Poor''s e a Fitch.