Movimento de compra perde força; Índice cai 0,14%

SÃO PAULO, 17 de agosto de 2007 - A tentativa de recuperação não se sustenta e a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) volta a operar em território positivo. Há pouco, o índice recuava 0,14%, para 47.947 pontos, com giro financeiro em R$ 1,87 bilhão.

O índice chegou a subir mais de 3,2%, depois que o Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) anunciou um corte emergencial na taxa de redesconto. O juro cobrados nas operações com os bancos comerciais caiu de 6,25% para 5,75%.

O Fed justificou tal medida apontando os maiores riscos à economia, dado o cenário de menor oferta de crédito. A autoridade monetária disse estar vigilante e pronta para atuar para garantir caso as situações do mercado continuem ameaçando o desempenho econômico.

Em Nova York, os índices seguem em alta, com Dow Jones e Nasdaq subindo 1,23% e 1,25%, respectivamente. Mas a alta já foi mais acentuada, com o Dow avançando mais de 2,5%.

Entre as ações com maior peso na carteira teórica a Petrobras PN (PETR4) recuava 0,74%, a R$ 46,70; Vale do Rio Doce PNA (VALE5) subia 1,66%, para R$ 67,90; Bradesco PN (BBDC4) recuava 2,41%, para R$ 44,40; Usiminas PNA (USIM5) subia 1,56%, para R$ 95,99; e o Itaú (ITAU4) avançava 0,70%, para R$ 75,96.

Na Bolsa de Mercadorias e Futuros (BM&F), o Ibovespa com vencimento em outubro subia 1,15%, para 48.350.

(EC - InvestNews)